Pogledajte kako izgledaju najneobičniji ljudi na svijetu (FOTO)

Njihova ljepota fascinira, osvaja i ostavlja bez riječi posmatrača

Dok gledate ove fotografije krajnje neobičnih ljudi, shvatate da nas nesavršenost čini privlačnim i jedinstvenim.

View this post on Instagram

This time last year I had the absolute honour to shoot with international photographer @mrelbank for his incredible vitiligo series! Here is one of his mighty fine pieces of work, and a stand out favourite photo of mine to this day! Massive love and respect for this guy, he’s managed to embrace a growing community and truly put vitiligans on the map. Thank you @mrelbank 📸 . . . . . #vitiligo #vitiligans #vitiligoseries #mrelbank #diversity #equality #blackandwhite #portrait #portraitphotography #blackandwhite #community #photography #photoshoot #bw #instagram #amazinghumans #model #modelling #britishmodel #diversity #discoverunder5k #chiselled #mensfashion #skin #influencer #zebedee #getyourskinout

A post shared by Shankar Jalota (@thevitiligoman) on

View this post on Instagram

what’s up broski’s

A post shared by 🌙 Swantje Paulina (@swalina) on

View this post on Instagram

“viral”

A post shared by Maeva Giani Marshall 🤍 (@maevamarshall) on

View this post on Instagram

🕊🕊

A post shared by Shahad (@5sunshine1) on

View this post on Instagram

Brotherly Love 🌊

A post shared by BERA (@beraofficial) on

View this post on Instagram

Tb to the best shootpartner 🐶💙

A post shared by Danielle Kroon 👑 (@daniellekroon) on

View this post on Instagram

Domingo 🥰

A post shared by Ketellen de Jesus (@ketellendejesus) on

View this post on Instagram

[NÃO PULE O TEXTO PQ SAIU DO FUNDO DO CORAÇÃO] Um dos desafios da vida moderna é ser uma pessoa singular em meio a tantos plurais. Plurais esses que encontramos nos livros, nos filmes, na vida social, nos estudos, nos documentários, na arte, no instagram, nas mídias. Plurais que estão cada vez mais padronizados e menos autênticos e criativos. Olhamos mais para esses plurais do que para a nossa singularidade. Tiramos selfies com muita facilidade, porém não paramos para nos percebermos nesse mundo, onde estamos, o que estamos sentindo, para onde estamos olhando, o porquê estamos fazendo isso. Pensar naquela figura capturada como um corpo único e pensante, que sente, que possui uma história, tem suas lembranças, seus valores, costumes, ainda é uma tarefa árdua, que quase não praticamos. A escassez do movimento de olhar para nós mesmos nos faz entrar cada vez mais para essa pluralidade, a fim de nos encontrarmos, mas nem sempre nos achamos. Não sei se isso é bom ou ruim, mas sei que muita coisa pode ser perdida nesse movimento. Nesta imagem está uma pessoa disposta a descobrir cada dia mais a sua singularidade e se armar do que há de melhor nela mesma. E você? 🌻

A post shared by Barbarhat Sueyassu (@barbarhat) on

Komentari

komentara